teste

Juliana Mota

A gente acredita em borogodó!

A jornalista carioca Juliana Pinheiro Mota também.

Não por caso, ela é a quinta mulher que apresentamos aqui na nossa série.

Há anos radicada em São Paulo, ela tem borogodó à carioca. Adora tratar a vida como se fosse um enredo de filme, com direito a grande elenco (afinal, são nossas relações humanas que fazem tudo valer a pena – precisamos cuidar delas com todo borogodó do mundo!)

Em seu ofício como jornalista e consultora de comunicação, assuntos como moda, design, arte e cultura se misturam como a música de uma orquestra.

Colaboradora fiel da Vogue (não perca seu texto sobre o amor na edição de junho da revista, fruto da entrevista com Alain de Botton), é Ju também quem assina os textos da Sissa. “Adoro ganhar a vida escrevendo letras”, brinca, falando sério.

Na sala de sua casa, trabalho e aconchego andam juntos. A estante de livros ganha colorido com objetos garimpados mundo afora e brinquedos do filho Antonio, de 3 anos. “Conviver com o mundo lúdico das crianças torna a vida imensa”.

Apaixonada pela parceria da Sissa com as tecelãs de Muquém, em Minas Gerais, Ju escolheu o vestido one of a kind dourado para ir ao baile de gala carnavalesco da Vogue. “Elas transformam o lixo têxtil em um belíssimo tear manual. Nada é mais chique que ser sustentável e cuidar do planeta – e, por consequência, do futuro das crianças”.

Quer mais borogodó que esse liquidificador de moda, sustentabilidade, arte, design, escrita e o encantador imaginário infantil?

É nisso, enfim, que a gente acredita!

Inspirações para uma vida cheia de borogodó

– Arte e design: gravuras de Anna Bella Geiger e Rubens Gerchman e poltrona Mole, de Sergio Rodrigues, dão charme ao canto de leitura

           – Cotidiano com arte: o múltiplo Aliança, de Ernesto Neto (que está com exposição imperdível na Pinacoteca de São Paulo), foi comprado na Fortes D’Aloia & Gabriel; o catálogo da Sotheby´s, Nelson Leirner, foi presente, e a obra de Mariana Mauricio foi um caso de amor à primeira vista

            – A calmaria do azul ganha força com o preto da luminária da marca escandinavaMuuto

           – Coleção de caixas: as duas com as paisagens cariocas foram garimpadas na feira do Shopping Cassino Atlântico, no Rio, e na loja de design Amoreira, em São Paulo

           – As pedras para garantir cura e proteção foram presentes da joalheira Andrea Colli, famosa por seus pingentes de pedras multicoloridas em forma de olhos

           – Nos anos 70, a arquiteta Cini Boeri revolucionou o mercado de mobiliário com peças-desejo como o sofá modular Strip

 –  O arco-íris de madeira da Oficina do Vovôio se mistura como artesanato brasileiro representado pelo vaso das artesãs do Vale do Jequitinhonha

            – Mar de afeto: o papel de parede da Branco assinado pela artista e ilustradora Sandra Jávera e o peixe grandão da marca holandesa Anne-Claire Petit dão borogodó ao quarto de Antonio, onde mãe e filho brincam diariamente como se a vida fosse um eterno domingo.

           – Encha a casa do universo lúdico das crianças: estante-lousa Bododo.
– Peças de Muquém, da Sissa, são garantia de elegância e alto astral, na moda e na decoração

Texto por ela mesma! <3